bg_image

O papel do Canabidiol na Ansiedade e Transtornos Depressivos

A saúde mental é atualmente um grande desafio de saúde pública em todo o mundo. Aproximadamente uma em cada quatro pessoas experimenta algum tipo de problema de saúde mental pelo menos uma vez na vida. Hoje, mais de 260 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de transtornos de ansiedade e humor, afetando cerca de 25% da população europeia. Além de sua alta incidência, esses transtornos psiquiátricos apresentam altas taxas de prevalência, levando a uma redução substancial na qualidade de vida e perturbações no desempenho profissional/escolar, vida familiar/social e atividades cotidianas comuns. Um dos problemas enfrentados é o acesso limitado a serviços de saúde mental e a tratamentos farmacológicos e psicoterapêuticos, especialmente em países de baixa e média renda.

 

Ao contrário de outras doenças humanas, os transtornos neuropsiquiátricos não são diagnosticados com base em medidas biológicas objetivas, mas sim em uma lista de sintomas, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) ou com o International Classificação de Doenças (CID-10). De acordo com o DSM, os transtornos de ansiedade são classificados em transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico, fobias específicas ou sociais e transtorno de ansiedade social. Todos os tipos compartilham sintomas comuns, incluindo sentimentos de inquietação, pânico e/ou medo, problemas de sono, não conseguir manter a calma, estar frio e/ou suado, falta de ar, palpitações cardíacas, boca seca, náusea, entre outros.

 

Esforços têm sido feitos para caracterizar a etiopatogenia dos transtornos mentais e identificar potenciais biomarcadores para orientar o diagnóstico, prognóstico e o desenvolvimento de potenciais novas drogas. Graças a esses tipos de pesquisas, foi possível identificar novos sistemas de neurotransmissão envolvidos em transtornos psiquiátricos, como os sistemas glutamatérgico, GABAérgico e endocanabinoide (ECS). 

 

Um medicamento em potencial que chama a atenção é o canabidiol (CBD), um dos principais compostos presentes na planta Cannabis sativa. Modelos animais mostraram que o canabidiol apresenta propriedades ansiolíticas, antidepressivas, antipsicóticas, antiepilépticas e neuroprotetoras, sugerindo seu potencial uso terapêutico para diversos transtornos psiquiátricos, neurológicos e de uso de drogas.

 

Pesquisadores do Instituto de Neurociências da Universidade Miguel Hernández em Alicante, Espanha, fizeram uma revisão, onde resumiram os principais resultados fornecidos por modelos animais e ensaios clínicos preliminares realizados até o momento sobre a eficácia do CBD no tratamento de ansiedade, transtornos depressivos e transtorno de estresse pós-traumático. 

 

Os resultados sugerem que o CBD pode ser uma terapia potencial para o tratamento de ansiedade, depressão, esquizofrenia e transtornos psicóticos relacionados. No geral, os modelos animais mostraram que a administração de CBD minimiza a ansiedade, a depressão e os comportamentos relacionados ao estresse. Porém, as propriedades ansiolíticas e antidepressivas do CBD dependem da espécie/estirpe, idade, sexo, doses, via de administração, entre outras características, sendo necessários estudos clínicos em larga escala antes de sua aprovação final para uso clínico humano nesses transtornos psiquiátricos. 

 

Todos os ensaios clínicos realizados indicam que o CBD é bem tolerado, sem efeitos colaterais extrapiramidais, menor ganho de peso e menores aumentos de prolactina do que os medicamentos antipsicóticos atuais. Assim, esses resultados sugerem que o CBD apresenta um perfil de risco-benefício interessante.

 

Referência: García-Gutiérrez, M. S., Navarrete, F., Gasparyan, A., Austrich-Olivares, A., Sala, F., & Manzanares, J. (2020). Cannabidiol: a potential new alternative for the treatment of anxiety, depression, and psychotic disorders. Biomolecules, 10(11), 1575. DOI: 10.3390/biom10111575