Como o Canabidiol (CBD) pode auxiliar no tratamento de doenças neurológicas?

Exame de tomografia cerebral sendo visto por um médico, ele está apontando itens no exame com uma caneta.

Entenda os benefícios dos medicamentos à base de CBD e como eles ajudam a melhorar a qualidade de vida dos pacientes com doenças neurológicas.

Você sabia que as doenças neurológicas são uma das principais causas de mortes no mundo todo? Atrás apenas de doenças coronárias, as doenças neurológicas são a segunda maior causa de morte no planeta e a principal causa de deficiências, reduzindo os anos de vida devido à incapacidade neurológica dos pacientes. É sobre esse assunto importante que vamos falar neste texto especial, que contará com informações recentes sobre tratamentos para uma melhora na qualidade de vida, principalmente por meio do Canabidiol (CBD), ou medicamentos à base de Cannabis 

Esperamos que gostem. Excelente Leitura! 

Resultados da recente pesquisa Global Burden of Disease Injuries and Risk Factors, publicada na revista Lancet Neurology em 2019, apontam que entre 1990 e 2016 houve um aumento de 39% no número de mortes e 15% na estimativa de anos perdidos por incapacidade causada por doenças neurológicas. Somente no último ano da pesquisa (2016) as doenças neurológicas causaram cerca de 9 milhões de mortes no mundo. 

De acordo com esse estudo, estima-se que pelo menos um a cada três adultos no planeta tenha uma desordem neurológica em algum momento durante a vida. Além disso, as principais doenças que apresentaram aumento significativo nesses números foram: acidente vascular cerebral (AVC), migrânea (também conhecida como enxaqueca), Alzheimer e outros tipos de demência.  

As doenças neurológicas afetam o sistema nervoso do nosso organismo. Esse sistema é dividido em sistema nervoso central, composto por cérebro e medula, que controla a maior parte das funções do corpo; e sistema nervoso periférico, composto por nervos, gânglios e órgãos terminais, que realizam a tarefa de conectar esse sistema aos demais órgãos. Alterações estruturais, bioquímicas e elétricas nesse sistema são características de doenças, e as principais são: Alzheimer, epilepsia, paralisia de Bell, esclerose múltipla, doença de Parkinson, autismo e migrânea. 

 

O CBD no tratamento das doenças neurológicas 

Com a alta prevalência de doenças neurológicas, também crescem os esforços para a busca por novos tratamentos. E existem excelentes estudos em andamento mostrando a ação terapêutica dos medicamentos à base de CBD no tratamento dessas doenças neurológicas. O CBD atua em nosso organismo através do sistema endocanabinoide – mais informações no nosso último post  – por meio de receptores canabinoides, desencadeando ações variadas no organismo. 

Os componentes químicos extraídos da planta Cannabis, chamados de fitocanabinoides, dentre os quais está o CBD, interagem com esses receptores canabinoides presentes no nosso organismoprincipalmente no nosso sistema nervoso central e periférico. Essa interação com receptores canabinoides, e também com outros receptores no nosso organismo, desencadeia mecanismos fisiológicos, ou seja, o CBD auxilia em doenças neurológicas por atuar sobre esses mecanismos, especificamente no sistema nervoso, levando a efeitos terapêuticos. 

Quando um paciente com problemas neurológicos começa um tratamento com CBD, a principal função desse medicamento é diminuir as alterações que as doenças – como Alzheimer, epilepsia, autismo, derrames, ansiedade, depressão, entre outras – causam em nosso sistema nervoso. 

Com um acompanhamento médico de confiança e o monitoramento de dosagens apropriadas, os efeitos terapêuticos do CBD encontrados no tratamento de doenças neurológicas são:  

  • Redução de crises epilépticas; 
  • Redução de tremores em pacientes com doença de Parkinson; 
  • Melhora na qualidade do sono; 
  • Melhora em quadros de ansiedade; 
  • Neuroproteção em casos de Alzheimer, entre outros benefícios.  

Em geral, quando se obtém eficácia terapêutica com o uso de CBD, há uma melhora na qualidade de vida e bemestar dos pacientes com doenças neurológicas e psiquiátricas. 

 

A administração de CBD no tratamento de doenças neurológicas em crianças 

O uso de medicamentos à base de canabidiol em crianças tem crescido rapidamente. A condição mais comum em que se emprega o tratamento com CBD na pediatria é a epilepsia refratária (resistente a outros tratamentos). Estudos clínicos têm apontado alta tolerabilidade e segurança terapêutica no uso desse canabinoide 

Em sua maioria, medicamentos administrados em crianças requerem atenção redobrada com relação à segurança terapêutica e efeitos colaterais, além de um acompanhamento médico ainda mais próximo. Para tratamento com CBD em crianças com doenças neurológicas, a dosagem é distinta daquela usada em adultos, pois o parâmetro clínico para determinar a dose ideal é a quantidade do medicamento por quilograma de peso corporal. Como crianças geralmente têm menor peso corporal, a dose costuma ser menor do que de um paciente adulto com a mesma condição neurológica. Além disso, o metabolismo de crianças é diferente dos adultos, o que leva à um processamento e metabolização de medicamentos diferente entre eles. 

 

Efeitos colaterais do CBD em doenças neurológicas 

Os efeitos colaterais decorrentes do uso de medicamentos com CBD são relatados por pacientes em estudos clínicos ou que já fazem uso do medicamento. Em geral, os efeitos apresentados estão relacionados à dosagem aplicada e, em sua maioria, são efeitos leves e de curta duração 

Dessa forma, medicamentos à base de CBD podem ser considerados seguros para o uso com acompanhamento médico. Em estudos clínicos, foram descritos efeitos como: náusea, sonolência, fadiga, diarreia, febre, redução do apetite, boca seca, aumento do apetite, olhos secos, olhos vermelhos, distúrbios digestivos e alterações nas concentrações de transaminases (enzimas hepáticas). 

Saiba mais sobre o universo do CBD e a ação do medicamento no tratamento de diversas doenças, siga a Aura Pharma nas redes sociais e acompanhe nosso blog! 

Leave A Comment