Sistema Endocanabinoide: o que é e qual a sua importância para nós?

Sistema endocanabinoide

Saiba como funciona o sistema endocanabinoide, como ele age em nosso corpo e qual a importância dele no tratamento à base de CBD

Você já ouviu falar sobre o sistema endocanabinoide? Você sabe ao certo o que ele é e qual a sua importância em no corpo humano? Preparamos esse texto especial sobre o assunto para você entender de vez tudo o que ele faz.

Esperamos que goste, excelente leitura!

 

Como o sistema endocanabinoide foi descoberto?

Esse sistema pode parecer algo estudado há tempos pela medicina, não é mesmo? Porém, ele foi descoberto somente em 1964, por Raphael Mechoulam. O pesquisador identificou o sistema endocanabinoide enquanto documentava as propriedades medicinais do THC, o tetrahidrocanabinol. O uso do canabidiol em tratamentos médicos era, até então, praticamente ignorado pela comunidade científica.

Ok, Aura, isso significa que eu tenho um sistema dedicado à cannabis em meu corpo?

Não! O que acontece é que o sistema endocanabinoide teve sua nomenclatura realmente inspirada na Cannabis, por isso a similaridade dos nomes, pois é por meio do sistema endocanabinoide que o óleo de CBD interage com o corpo humano. Como na época Raphael Mechoulam estava estudando as propriedades medicinais da Cannabis, o sistema recebeu uma nomenclatura semelhante.

 

Mas afinal, o que é o sistema endocanabinoide?

O sistema endocanabinoide é um conjunto de enzimas, receptores e neurotransmissores que regulam e participam dos processos bioquímicos de diversas funções vitais em nosso organismo. Para você entender melhor, basicamente, o funcionamento do sistema endocanabinoide tem relação direta com processos fisiológicos do nosso corpo como sono, dor, comportamento, relaxamento e até mesmo a imunidade.

 

E como o sistema endocanabinoide funciona em nosso corpo? Ele só é ativado quando utilizamos algum medicamento à base de cannabis?

Acredite, mas nosso sistema endocanabinoide não precisa de estímulos por meio da ingestão de fitocanabinoides extraídos de plantas de Cannabis para funcionar!

O que ocorre é que temos moléculas produzidas naturalmente em nosso organismo que também estimulam os receptores canabinoides, denominados endocanabinoides, tais como a Anandamida e o 2-AG. Trata-se de neurotransmissores produzidos por reações químicas naturais em nosso corpo.

Manter o equilíbrio e o bom funcionamento do sistema endocanabinoide é de muito importante porque ele participa de diversos processos biológicos em nosso organismo, sendo essencial para o equilíbrio fisiológico de nosso corpo.

Atenção: Apesar de produzirmos endocanabinoides naturalmente, algumas pessoas possuem uma deficiência nesta produção natural, ocasionando um desequilíbrio fisiológico classificado como Síndrome da Deficiência Clínica Endocanabinoide. Diversos motivos podem levar a este desequilíbrio, tais como alimentação, estilo de vida e algumas patologias. A ingestão de fitocanabinoides ajuda a suplementar esta deficiência. Destacamos ainda que, por se tratar de uma suplementação de componentes que interferem em processos fisiológicos de nosso corpo, é de extrema importância o acompanhamento médico nestes casos.

 

E para que os receptores do sistema endocanabinoide servem?

Por estarem presentes em diversos sistemas de nosso organismo, esses receptores quando estimulados por algumas moléculas (dentre os quais podemos exemplificar o CBD, o THC, e os endocanabinoides produzidos naturalmente pelo nosso organismo) desencadeiam reações bioquímicas que produzem efeitos fisiológicos importantes, tais como: inibição da dor, indução do sono, relaxamento muscular, redução de espasmos neuromusculares, dentre uma série de outros efeitos desencadeados em nosso corpo. Os principais receptores canabinoides são o receptor canabinoide CB1 e o receptor canabinoide CB2.

Apesar de parecerem semelhantes, os receptores canabinoides CB1 e CB2 possuem funções diferentes em nosso corpo. Além de serem estruturalmente diferentes (quanto à composição proteica e molecular), levando a apresentarem afinidades químicas por diferentes moléculas, estes receptores diferem quanto aos efeitos que desencadeiam no corpo quando estimulados. Por exemplo, o receptor canabinoide CB1 tem maior afinidade química pelo THC e Anandamida (endocanabinoide), interferindo na modulação da dor e sono. Já o receptor canabinoide CB2 apresenta maior afinidade pelo CBD e 2-AG (endocanabinoide), participando de processos fisiológicos relacionados à imunidade e relaxamento neuromuscular.

Estes receptores, importantes para os tratamentos com medicamentos à base de Cannabis, são encontrados em nosso cérebro, pâncreas, intestino e na micróglia (sistema imune cerebral).

 

Então, como o uso do CBD pode auxiliar na regulação do sistema endocanabinoide?

O CBD interage diretamente com o receptor canabinoide CB2, estimulando-o e desencadeando algumas reações bioquímicas através desta interação. Desta forma, o CBD é caracterizado como um ativador do receptor CB2, resultando em diversos e distintos efeitos fisiológicos no organismo, através das reações bioquímicas que o sistema endocanabinoide participa.

Agora você compreende a importância do sistema endocanabinoide e como o CBD auxilia no tratamento de diversas doenças ligadas a esse sistema! Esperamos que tenha gostado deste conteúdo, que ele ajude na sua jornada de compreensão sobre o universo dos medicamentos à base de Canabidiol.

Siga as nossas redes sociais e acompanhe o nosso blog para saber mais.

Leave A Comment